Gincana de sobrevivência dos Pássaros

A GINCANA DA SOBREVIVÊNCIA DAS AVES NO MATO

Nós começaremos a história quando um casal de bicudos se encontra para procriar.

O macho começa o cortejo cantando para a fêmea e ela já responde começando a procurar um lugar para fazer seu ninho, num lugar em que um predador não o encontre tão fácil.

Ela faz o ninho e vem o macho para galar. E ai começa a luta pela a sobrevivência.

Pronto. A fêmea botou os ovos. Poderia vir uma gralha para comer os ovos, mas por sorte não conseguiu descobrir o ninho da fêmea bicudo. Passaram-se mais uns dias e nascem os filhotes. Poderia vir uma cobra jibóia ou outras centenas de cobras para comer os filhotes, e o casal só pode ficar perto esperando a tragédia.

Mas vamos supor que o casal de bicudos e seus filhotes escaparam dessa. A esta altura os filhotes já estão com penugem e já querem se mexer no ninho. Tal movimento chama a atenção dos predadores como gaviões do mato carnívoros, sendo que filhote de bicudo é um banquete de prato cheio.

Ainda vamos supor que na ausência dos pais bicudos tem a tempestade que pode derrubar os filhotes do ninho, ou uma onda de frio que surge de repente e eles não conseguem se abrigar do mal tempo. Ou os pais ficam longe por muito tempo e não dão alimento direito.

Mais uma vez, vamos supor que o pior não aconteceu para essa família de bicudos e o tempo foi passando.

Imaginem agora eles crescidos a ponto de poderem voar. Vamos supor que está uma seca dessas da brava, surge fogo no mato para todo lado, fazendo com que os filhotes de bicudos percam contato com seus pais. Milhares de aves já morreram queimadas no mato, devido a um acidente provocado pelo pior predador que há no mundo, o incendiário “ser humano”.

Vamos supor que com a seca acabou a água da mata, ou que sobrou um poço de água suja e quente que provoca doença nas aves. Um casal de aves maduras ou filhotes crescidos nestas circunstâncias, como o bicudo e o curió, não dão mais que 1 chocada ou 2 ao ano, devido a falta das vitaminas.

Quando criados em cativeiro, tais aves escapam de todos esses predadores que citamos e a postura de ovos chega até 4 chocadas por ano. No mato, o máximo é 2 ovos por ano, enquanto que em cativeiro as fêmeas botam o dobro devido ao bom trato de vitaminas. Assim sendo, a possibilidade de um casal de bicudos ou curiós na mata viver é de no máximo 3 anos, e isso quando conseguem escapar dessa gincana maldosa que existe no mato.

Em cativeiro o bicudo e o curió vive até trinta anos de idade, pois se nossos filhos e netos quiserem ver essas aves nacionais, somente com criação em cativeiro que permite essa possibilidade. Sem a prática ordenada do cativeiro, o Brasil corre sério risco de não ter mais aves! Num Brasil imenso como esse, é somente presos dentro de nossas casas que conseguimos viver com segurança e dignidade. Essa nova época se destaca pelos predadores, ladrões e assassinos de nós mesmos, onde o abrigo de nossas casas é o nosso porto seguro. Assim como a ingenuidade das aves pode ser protegida dos perigos das matas, o homem honesto e pacato se iguala. Senão em nossas casas, presos como aves em cativeiro, existem outras maneiras de nos protegermos dos predadores das ruas?

Por isso, eu apelo aos biólogos e órgãos federais que pensem nisso, pois estamos encurralados pelos predadores da vida. A criação em cativeiro bem feita deve servir de modelo aos seres humanos que querem preservar a natureza e os pássaros. Pois tais aves passam a se alimentar de ração balanceada com sementes esterilizadas.

Ao contrário da triste realidade do mato, pois as aves não têm muita opção e, isso quando ainda existe floresta, pois o desmatamento está provocando a extinção dos pássaros.

Será que um bom governo não vê isso?Se viver no mato fosse bom, quando Pedro Álvares Cabral chegou ao Brasil, os índios eram a maioria e os brancos eram a minoria. É aí que vocês vêem a quantidade de índio que tem no mato e a quantidade de pessoas que vivem nas cidades. É ai que vemos que criar pássaros em viveiros é melhor, pois aumenta a população com saúde e bons tratos.

Um casal de bicudo no mato tem 3 anos e poderá criar até 6 filhotes em 3 anos. Sendo que em cativeiro poderá criar até 33 filhotes no mesmo espaço de tempo. Criar em viveiros significa criar mais aves. Soltos... Você que é biólogo e veterinário já sabe o resultado que dá.

Até para cantar, nós humanos e os pássaros cantam melhor que aqueles que estão nos matos.

TEXTO ESCRITO POR: GERMANO PUGA NETO, CONSERVADOR E ADMIRADOR DAS AVES E BICUDOS.


93 visualizações

© 2020 by CRIADOURO MODELO.

  • facebook-square
  • twitter-bird2-square
  • google-plus-square